Quem somos

O Pêssega d’Oro começou a partir de um questionamento sobre o processo de tortura que é tomar doses de tequila através dos moldes originais: SAL –> TEQUILA –> LIMÃO.
Sim, depois do shot, o percentual alcoólico age de tal forma, fazendo com que todos ignorem esse processo, mas nós NUNCA deixamos passar nada batido! Eis uma característica que todos sempre encontrarão nos posts do blog: Nada relevante passará batido!
Por que temos que fechar o ciclo dando uma senhora chupada em um pedaço de limão? Desculpem, mas ninguém chupa limões no seu dia a dia…
Partindo de tal princípio, pensamos em formas pra finalizar o já citado ciclo de uma forma mais agradável. E depois de incontáveis tentativas com outras frutas, descobrimos a pêssega (<3). E é sério, tenho certeza que Deus (?) quando inventou tal fruta, pensou em associá-la à bebida mexicana. É o casamento perfeito! O ato de tomar tequila, passa a ser algo agradável, pois dentre tantos motivos, o gosto de cabo de guarda chuva que ficava na boca pelo método tradicional, já não existe mais!
Você deve estar se perguntando: “Ok, esses malucos descobriram algo que ameniza o gosto da tequila, mas por que pêssegA (no feminino)?”
Para essa pergunta a resposta é mais simples e objetiva: Apertar o ‘foda-se’ para gêneros, é vida!
Mas o que tudo isso tem a ver com o blog que você vê hoje em dia? Bom, o blog nada mais é que uma grande metáfora da descoberta citada anteriormente, no sentido de amenizar o gosto, por vezes, amargo do dia a dia, com manifestações artísticas que convivem harmonicamente no mesmo espaço, sem as garrinhas do preconceito, maior de todos os limitadores mentais. Afinal, arte está em todos os lugares!

O único conselho que tia Pê tem pra dar é: Aproveitem sem qualquer moderação!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *